Arquivo - Categoria: Colunas

Cristina viaja

Cristina Kirchner passou 12 dias fora do país, numa turnê que começou com a visita a Hugo Chávez em Cuba e terminou ontem, no Vietnã. Se os benefícios para o comércio bilateral da Argentina com os países asiáticos não são muito relevantes de um modo geral, por outro lado a viagem da presidente para aquele(…)

Depois do Clarín, a Justiça

Em guerra com o conglomerado de mídia mais importante da Argentina, o governo parecia ter no Clarín seu inimigo número 1. O cenário era este até a semana do fatídico 7D (7 de dezembro), quando caducaria a cautelar obtida pelo grupo na Justiça e este teria de começar o processo de desinvestimento de muitas de(…)

A Argentina não é a Venezuela

Desde que começaram as mobilizações, principalmente da classe média, contra o governo Cristina Kirchner, o fantasma que assustava os anti-kirchneristas era o do exemplo venezuelano. A mídia opositora também embarcou na ideia de que, se o autoritarismo de Cristina e suas ações contra a imprensa se agravassem, o país estaria cada vez mais parecido ao(…)

México, tempo de trégua

Estive no México em duas ocasiões neste ano. A primeira, em julho, para cobrir as eleições nas quais o priísta Enrique Peña Nieto saiu vitorioso. A segunda, agora, para acompanhar a Feira Internacional do Livro de Guadalajara, maior evento das letras latino-americanas, que ocorre na capital do estado de Jalisco. Durante a minha primeira passagem,(…)

Argentina, ou a vida numa bolha

A Argentina é um país encantador e cheio de gente interessante, uma cultura literária e musical intensa e vibrante, e Buenos Aires é uma cidade agradável, de linda arquitetura. Na verdade, a lista de atributos é muito grande e, desde que cheguei aqui para viver, em julho de 2011, me surpreendo positivamente com várias coisas.(…)

A casa do terror

Coronel Suárez é uma cidade pacata e pequenina ao sul da província de Buenos Aires. Até a semana passada, pouco se havia escutado falar sobre ela, até que um terrível crime a colocasse em evidência no noticiário. Aqui na Argentina, os jornais e meios em geral tendem a assumir casos como se fossem novelas, sejam(…)

O que ficou do 8N

E o 8N, data do protesto tão alardeado pela oposição ao governo Cristina Kirchner, já é passado. O balanço final dos organizadores foi de que a manifestação teve êxito: presença avassaladora de anti-kirchneristas, nada de violência, nem verbal, nem física, e bandeiras que de tão amplas, cobriam todas as áreas e imperfeições do governo. Porém,(…)

Unidos, organizados, e assustando

Aos poucos, o governo kirchnerista vai prescindindo da política. A mais nova manifestação disso é a progressiva perda de relevância dos partidos tradicionais e o aumento da influência de uma militância aguerrida e violenta em seus modos de atuação. Os partidos de oposição estão no chão. Nenhum tem uma atitude clara de confronto com relação(…)

Futebol para todos

O último domingo foi de festa para o futebol argentino. Pela primeira vez desde que o River Plate voltou à primeira divisão, teve lugar o embate mais tradicional do Rio da Prata, o clássico Boca x River. O jogo terminou empatado em 2 a 2 e foi transmitido por algumas televisões abertas, todas repassando o(…)

Guerra em videoclipe

A aproximação do 7D, data em que deixará de ter valor uma medida cautelar obtida pelo Grupo Clarín para evitar que sejam colocados em vigência dois artigos polêmicos da Lei de Meios, abriu uma disputa de propagandas na televisão. Por um lado está o governo, que produziu um spot e vem alardeando a data como(…)