Cinco filmes para entender o México

Por Sylvia Colombo

A população das grandes cidades vai às ruas em protesto pelo desaparecimento de 43 estudantes, enquanto no interior de Estados como Guerrero, Sinaloa e Coahuila as pessoas vivem amedrontadas o pesadelo de amanhecer com a notícia de fossas coletivas, enforcamentos e degolas. Como entender o México contemporâneo e o dilema de ser um país que moderniza sua economia a olhos vistos, mas ainda convive com dramas e violência em suas entranhas? O cinema dá algumas pistas. Aqui dicas de filmes recentes (e um por estrear) que abordam o assunto.

 

“Heli”, 2013 (Amat Escalante)

O terceiro filme do diretor catalão Amat Escalante conta a história de uma família muito jovem que sofre as consequências da guerra ao narcotráfico, principalmente a convivência com assassinatos, torturas e estupro. A presença dos cartéis, em conluio com a polícia corrupta -razões da tragédia em Guerrero- é o pano de fundo da produção. Bastante violento, o filme deu a Escalante o prêmio de melhor diretor no festival de Cannes (2013).

“La Dictadura Perfecta”, 2014 (Luis Estrada)

O título dessa comédia que estreou recentemente no México faz referência a expressão cunhada pelo escritor peruano Mario Vargas Llosa para referir-se ao monopólio de poder do PRI -partido nascido da Revolução Mexicana que ficou quase 70 anos no poder e agora está de volta. A sátira ironiza Enrique Peña Nieto e a relação entre a poderosa Televisa e os esquemas eleitorais e de corrupção regional.

“Colosio”, 2012 (Carlos Bolado)

Excelente suspense político que investiga os bastidores do assassinato, em 1994, do candidato presidencial Luis Donaldo Colosio, do PRI, em Tijuana. A trama trata de uma investigação policial secreta, imaginária, por trás de um fato real, tentando provar a tese de que o crime foi uma ação de Estado. A estreia, apenas semanas antes da eleição de 2012, vencida pelo candidato do PRI, trouxe o assassinato e a história do partido de volta ao debate.

“Miss Bala”, 2012 (Gerardo Naranjo)

A candidata a miss Laura Guerrero é sequestrada por uma gangue e levada à fronteira, sendo usada para missões dos criminosos, como transportar drogas e seduzir um militar. O filme explora a força que a televisão e os modelos de beleza possuem na sociedade mexicana, além da convivência de valores e relações familiares em território degradado pela guerra.

“Desierto”, a estrear (Jonás Cuarón)

O filho de Alfonso Cuarón, co-autor e co-diretor, com o pai, do sucesso “Gravidade”, está filmando no interior do México a super-produção “Desierto”, que vai tratar da saga dos imigrantes ilegais. Com Gael García Bernal (que fez Che Guevara no filme “Diários de Motocicleta”) e Jeffrey Dean Morgan (de “Grey’s Anatomy”), a produção contará a perseguição de um imigrante por parte de um agente da polícia norte-americana. A gravação está sendo feita nas belíssimas paisagens da Baja California.