Darín sem travas na língua

O ator-símbolo do cinema argentino dos dias de hoje, protagonista de quatro em cada cinco grandes filmes nacionais na última década, virou notícia nos últimos dias não por seus dotes cinematográficos. Darín falou à revista “Brando” sobre política e sobre o jeito de ser dos argentinos. Foi crítico ao governo, mas elogiou algumas iniciativas, como a Lei de Mídia. O mais delicado, porém, foi o que disse sobre a Argentina de hoje, que vive um momento de enfrentamento, polarização da sociedade e de um suposto jeito de ser nacional em que predomina o impulso para tirar vantagem de tudo e ver a desgraça alheia.

As redes sociais deram ampla repercussão às declarações de Darín, para quem a Argentina é um “país-criança”, em que os cidadãos precisam ser levados pela mão por um grande líder. Sobre o governo, criticou o pensamento único. “Não nos permitem pensar fora do estabelecido. Te dizem o que pensar e em que direção. Se não está de acordo, você é um filho da puta.” E reforçou que a história da Argentina está dividida entre Boca e River. Os que não pensam como você são o inimigo. “E o inimigo não tem de ser vencido, mas sim eliminado, isso me assusta”.

Há muito para refletir a partir de suas palavras. O que mais impressiona, porém, é que sua linguagem e os termos que usa são tão agressivos como o daqueles que criticam por fomentar a divisão do país. Generalizações às vezes ajudam a compreender uma situação e a trazer elementos para o debate. Mas a entrevista de Darín não vai além disso, e fica a sensação de que também o ator está escolhendo também seu lado no Boca x River, além de soar de péssimo gosto a frase em que diz que este é um país-criança.

Não é de hoje que se tem sentido falta dos artistas e intelectuais no debate sobre o kirchnerismo. Em sua maioria beneficiados por leis e patrocínios volumosos, os atores e diretores de cinema, principalmente, têm ficado distante das discussões e preferindo evitar confronto. Agora, pelo menos Darín mostrou a cara. Uma pena que tenha se deixado levar por um rancor banal e maniqueísta.

 

 

Comentários

  1. For marketing purposes a long video interview carry out is centered on 12 minutes. That’s pretty thorough. The shortest you can actually sensibly make use of any true dialog is centered on 23 minutes. The key success elements below are that the interviewer is good thinking that the structure of this subject matter is planned up-front. A faltering interviewer will result in a lame interview and fragile video. A solid interviewer with planned content will lead to authentic questions that depict you while in the very finest light. Although I cannot persuade Darín sem travas na língua | Sylvia Colombo – Folha de S.Paulo – Blogs all of my clients from this, DO NOT READ At a SCRIPT! If you’re an category specialist in your product or topic, a good interviewer’s questions may lead to natural ?? ??????? responses to you looking regularly into you. Script readers very own eyes averted to wherever the script is found and are across as wooden, just the skilled few equipped to fool people into believing they are really responding ad hoc.

  2. Using the 80s ska and mod look, and also the grunge look that’s just too large inside 90s still ruling supreme, it will come as no real shock that the musthave shirts ???????4 just for this Darín sem travas na língua | Sylvia Colombo – Folha de S.Paulo – Blogs season are check and tartan. Wear extra baggy over a tshirt, or tuck in and button around the neck.

  3. Then, there was obloquy at the utmost of the game with FIFA suspending two of its official council members after allegations that they were prepared to trade their votes to decide the hosts of the 2018 and 2022 Existence Cups. Uniform with Paul the Octopus would have originate it unfavourable to predict the winners of those two Cups, which sooner went to Russia and Qatar.
    winter jackets canada goose http://pineappleart.net/wordpress/winter-jackets-canada-goose-i-i-took-the-empres/

Comments are closed.