Sylvia Colombo

Latinidades

 -

Sylvia Colombo acompanha o crescente intercâmbio cultural entre o Brasil e o resto da América Latina. No blog, traz novidades e tenta explicar o contexto político da região.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Cinema e ditadura na Argentina

Por Sylvia Colombo

Ao diretor Benjamin Ávila, 40, jornalistas estrangeiros têm perguntado muito “por que outro filme sobre a ditadura?”. Filho de uma guerrilheira montonera morta nos anos 1970, o cineasta tem mais do que razões pessoais de rebuscar esse passado. “Creio que a Argentina ainda não o discutiu a fundo”, disse, em entrevista à Folha.

[youtube wPfEJbVK2Ww]

Ávila é o diretor de “Infância Clandestina”, filme que representará a Argentina no Oscar de 2012 e que mostra o processo de tomada de consciência de Juan, filho de um casal de montoneros que volta do exílio para lutar e morrer durante a chamada “contraofensiva”, em 1979. O filme estreia sexta no Brasil.

Para entender melhor esse episódio dramático da história do país vizinho, vão dicas dos cinco melhores filmes sobre a ditadura militar argentina (1976-1983).

 

1. “A História Oficial”

Vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro em 1985, conta a história da professora Alicia Manet de Ibáñez, vivida pela veterana Norma Aleandro. Apesar de dar aulas sobre o passado do país, Alicia ignora o presente e só depois de questionada por estudantes começa a refletir sobre o que está acontecendo e a desconfiar de que sua filha adotiva possa ter sido roubada de guerrilheiros mortos pela repressão. O filme tem o grande mérito de refletir sobre o período no calor dos acontecimentos, com a nova democracia ainda engatinhando.

[youtube drcYUlHBx1Y]

 

2. “Garage Olimpo”

(Marco Bechis, 1999)

Uma jovem de 18 anos, Maria Fabiani, é levada pelo exército argentino e torturada na prisão clandestina conhecida como Garage Olimpo. Seu torturador, curiosamente, é um jovem que vivia de aluguel na casa da mãe de Maria e tinha por ela uma paixão não resolvida. Enquanto Maria passa pelas sessões de tortura e vive um inusitado flerte com o torturador, sua mãe sai em busca dela por Buenos Aires.

[youtube MnUBiIGYRO4]

 

3. “Tangos, o Exílio de Gardel”

(Fernando Solanas, 1985)

O filme conta a história de um grupo de argentinos exilados em Paris (como o próprio diretor), que tenta armar um espetáculo dedicado ao cantor Carlos Gardel. A trilha sonora é de Astor Piazzolla. Solanas dirigiu outros bons filmes sobre a política argentina, como “La Hora de los Hornos”, mas recentemente perdeu-se em produções panfletárias. Hoje é um reputado deputado de esquerda clássica.

[youtube 5VZNlT-WjYw]

 

4. “Kamchatka”

(Marcelo Piñeyro, 2002)

A ditadura vista pelos olhos de uma criança de dez anos. Seus pais, vividos por Cecila Roth e Ricardo Darín, fugindo dos militares, levam o garoto para uma casa fora de Buenos Aires. No lugar, uma das poucas alternativas de passar o tempo era jogar uma variante do nosso War, em que Kamchatka, uma província russa, parecia um lugar de refúgio e esperança. Quando por fim o casal desaparece, é a lembrança desse lugar que o garoto guardará dos pais.

[youtube JkAWI_fS7Pc]

 

5. “Crónica de una Fuga”

(Adrián Caetano, 2006)

Baseado numa história verídica, conta uma tentativa de fuga de um grupo de prisioneiros da temida Mansion Seré, um centro de detenção e tortura. Entre eles, estava Claudio Tamburrini, goleiro de um time de futebol que virou símbolo da luta contra a repressão depois do episódio. Realizado num momento de alta do cinema argentino no cenário internacional, o filme teve ampla repercussão internacional.

[youtube waq2faZe6vU]

 

 

Blogs da Folha