Sylvia Colombo

Latinidades

 -

Sylvia Colombo acompanha o crescente intercâmbio cultural entre o Brasil e o resto da América Latina. No blog, traz novidades e tenta explicar o contexto político da região.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

A última noite do #yosoy132

Por Sylvia Colombo

[youtube gAqUC2FeP3U]

“Queremos escolas, não telenovelas”. Milhares de jovens carregando velas cercaram a sede da Televisa, maior conglomerado televisivo do México no fim da noite de ontem para protestar e pedir a democratização dos meios de comunicação. Do lado de dentro das grades, seguranças e oficiais da polícia observavam a movimentação.

Convocada pelas redes sociais, a última marcha do movimento “#yosoy132″ enfrentou a recomendação das autoridades eleitorais mexicanas de que não houvesse manifestações durante o fim de semana, quando estão proibidas as ações de campanha.

Os jovens, que se opõem à eleição do candidato do PRI, Enrique Peña Nieto, reuniram-se às 18h (20h em Brasília), em Tlatelolco, onde em 1968 o governo priísta ordenou a repressão de uma manifestação estudantil, causando cerca de mil mortos. A marcha de ontem foi menos alegre e colorida que as anteriores. Começou com um clima circunspecto, com os animadores lembrando, pelo megafone, os acontecimentos daquela noite.

Dali, os jovens seguiram marchando pelo Paseo de la Reforma. Havia faixas fazendo alusão ao massacre de Atenco, pelo qual Peña Nieto é responsabilizado, muitas contra a Televisa, outras com emblemas revolucionários, com referências a Che Guevara e Emiliano Zapata. Alguns usavam nariz de palhaço, muitos com camisetas e faixas com alusão ao movimento amarradas na testa ou no pescoço. Outros, o cabelo engomado da mesma maneira como usa o candidato do PRI.

Por volta das 22h, a marcha atingiu o Zócalo, principal praça da cidade, no coração do centro histórico. Sem cobertura televisiva, a manifestação foi acompanhada pelo Twitter e virou “trending topic” rapidamente. Comentários, fotos postadas praticamente em tempo real, e convocatória para as ações do dia de hoje. Os jovens dizem que vão monitorar a votação e a apuração, e de fato conseguiram autorização da entidade eleitoral para acompanhar de perto o processo. O dia da eleição amanhece com um dos atores políticos bastante animado.

Blogs da Folha